domingo, 30 de junho de 2013

A Vettweiss-Froitzheim Dice Tower

Uma dice tower é um objeto usado para jogar dados, de forma a evitar que a rolagem seja manipualda pelo jogador e que os dados vão parar em locais inadequados (como fora da mesa, por exemplo).

Basicamente, é composta de quatro paredes com uma abertura na parte de baixo de um dos lados, e três rampas no interior, dispostas de forma a fazer os dados rolarem por estas e diminuir sua velocidade. Dice towers em forma de torres de castelo tornaram-se aparatos famosos entre os RPGistas.

O que nem todos sabem é que esses objetos são bastante antigos. A dice toweer mais antiga que se tem notícia é a Vettweiss-Froitzheim Dice Tower, um artefato romano do século IV, descoberto em 1985, e que hoje se encontra no Rheinisches Landesmuseum Bonn.

Roman Dice Tower A Vettweiss-Froitzheim Dice Tower

A antiga dice tower romana é feita de chapas de uma liga de cobre, ornamentadas com padrões vazados e frases que exaltam a vitória sobre os pictos e deseja sorte em seu uso.

As frases em latim na face frontal, e seu sentido geral, são:

PICTOS VICTOS (Os pictos foram derrotados)
HOSTIS DELETA (O inimigo foi destruído)
LVDITE SECVRI (Jogue a salvo!)

Na parte superior das outras faces lê-se a frase:

VTERE FELIX VIVAS (Use isto e viva feliz)

A base da torre onde os dados emergem é construído como uma miniatura de uma escadaria, e originalmente possuía três pequenos sinos que soavam quando os dados saíssem por ali. Apenas um dos sinos ainda existe.

Este objeto e os vários dados romanos já encontrados, incluíndo não só dados comuns mas também dados de 20 lados, demonstram o quanto jogos com dados eram presentes na sociedade romana. Só não sabemos exatamente o que eles jogavam. Será que havia um RPG romano?

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Linha de Aventureiros da Otherworld Quase Completa!

Mais novidades vem lá das bandas da Otherworld Miniatures. Para começar, disponibilizaram algumas fotos das miniaturas que eu mostrei aqui, já devidamente pintadas:

v2AdventurersPaint1_zpsce6f85f7 As esculturas variantes das 4 classes básicas de aventureiros.

SpFamiliarsPaint1_zps0de31d08 Os familiares especiais.

DrowLeadersPaint1_zpscb541281Capitão e Sacerdotisa Drow.

GreenDragonpaint2_zps8af7c5b8E o magnífico Dragão Verde!

Além destas, muitas esculturas que ainda faltavam da linha de aventureiros já estão terminadas e também foram reveladas. Agora faltam apenas algumas poucas peças para que tudo o que foi prometido no financiamento coletivo esteja pronto.

DAB3 - Female Elf Magic User A última das aventureiras: elfa maga.

Adventurers' Cart & Magic User Driver Carroça com mula e mago conduzindo.

DA4 - Dwarf Mercenary v2 Variação do anão mercenário.

Mercenaries  Mercenários: homem espadachim, homem lanceiro, e mulher com besta.

Henchmen Variações do cuidador de mulas, carregador e carregador de lanternas.

Escriba Escriba. Ou será o Gary Gygax?

DAB4 - Link BoyGaroto com tocha (linkboy). 

DAB4 - Porter Um outro modelo de carregador.

Além destes, foi divulgada também a primeira foto da escultura do dragão azul, ainda incompleto, e que deve ser o próximo a estar disponível na loja da empresa:

bluedragonwip1_zps85fe0915Ele deve estar encarando alguém…

quinta-feira, 27 de junho de 2013

O Queijo Boueverte

Você pode até perguntar aos maiores connaisseur de queijo, mas a maioria não conhecerá a variedade “boueverte”. Isso é porque o queijo em questão não é realmente um alimento, mas sim uma arma de guerra! E mesmo apenas uns poucos estrategistas militares sabem do que se trata a “manobra do queijo boueverte”, o que torna sua eficiência altíssima quando utilizada.

Para realizar a “manobra boueverte” é preciso inocular uma ou mais rodas de queijo com uma pequena amostra de limo esverdeado. A quantidade deve ser realmente pequena, apenas alguns esporos injetados no interior do queijo, caso contrário o limo esverdeado crescerá muito rápido e consumirá o queijo todo em poucos minutos.

Conseguir a cepa de limo esverdeado é uma das partes mais perigosas do processo, e para isso geralmente utiliza-se de aventureiros contratados. A criatura deve ser guardada em um frasco de pedra ou vidro lacrado para evitar acidentes.

Muito cuidado deve ser tomado ao manipular o limo esverdeado, pois um acidente pode se mostrar fatal. Para inocular a amostra no queijo, uma fina agulha de madeira pode ser utilizada, já que o limo corrói metal muito rapidamente, mas a madeira resiste mais tempo. A partir deste ponto, tudo deve ser realizado muito rápido.

roquefort Queijo roquefort ou boueverte?

Se tudo for feito corretamente, o dito “queijo boueverte” ficará com a aparência de um queijo azul, similar ao queijo roquefort, conforme o limo esverdeado vai se alimentando do queijo e crescendo dentro deste. Apenas um verdadeiro especialista em queijos tem 20% de chance de reconhecer que há algo errado com o boueverte.

O queijo boueverte deve ser direcionado a seu alvo em poucas horas, para que nada seja percebido e o truque surta efeito. Se o alvo for um único indivíduo, um espião infiltrado pode trocar o queijo de uma refeição pelo boueverte, mas se o alvo for toda uma cidade, um carregamento inteiro de boueverte pode ser entregue no lugar do fornecimento normal de queijo, possivelmente direcionado ao exército local, ou apenas causando uma epidemia descontrolada entre os habitantes. Rodas de boueverte também podem ser catapultadas para além de muralhas, visando a população faminta de uma cidade em cerco.

Qualquer um que ingerir o queijo boueverte, ou mesmo tocá-lo quando a criatura já tiver consumido a camada externa do queijo, é infectado pela maléfica infestação gosmenta e transforma-se em um limo esverdeado em poucos minutos (1d4 rodadas em AD&D, ou 1d4 turnos em Old Dragon), após o que nenhuma ressureição é possível. Curar doenças pode neutralizar o efeito se lançada rapidamente, assim como um membro infectado pode ser amputado antes de consumir o resto do corpo (infelizmente essa opção não é possível para o caso de ingestão).

Mesmo se ninguém ingerir o queijo, a manobra ainda pode mostrar-se bem sucedida, pois o limo esverdeado infestará as despensas do local, enquanto devora toda matéria orgânica e metais próximos, e causa vítimas entre todos aqueles que o tocarem inadvertidamente.

Fogo pode dar cabo da criatura, mas ainda assim existe chances de restarem esporos que gerem novas colônias após algum tempo. Por isso mesmo, essa manobra geralmente é utilizada em cidades que não se deseja conquistar, apenas destruir, já que é muito difícil se livrar do limo esverdeado depois.

---//---

Esta postagem faz parte da iniciativa Ciranda de Blogs, cujo tema de Junho é queijo.

Ciranda de blogs

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Cowferência 3: Horror no RPG

Na última segunda-feira rolou a terceira Cowferência, com o tema “RPG e Horror”, e participação do anfitrião Rafael Beltrame, Matheus Gonzaga, e este que vos fala.

Para quem não pode assistir ao vivo, ficou tudo registrado no Youtube:

O Cowferência é uma mesa redonda sobre RPG do blog Moostache, transmitida ao vivo via Google Hangout, e que ocorre aproximadamente a cada 15 dias.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

O Monstro da Revolta!

E na onda das manifestações que andam ocorrendo por todo o Brasil, o editor da Redbox, Mr. Pop, mostra que, apesar de ser um magnata do RPG, não está alheio aos acontecimentos, e nos brinda com uma tirada genial, nos moldes do vindouro Bestiário do Old Dragon:

Clique para ampliar.

Destaque especial para a silhueta de comparação de tamanho. Só é bom tomar cuidado com algumas das sinergias desse monstro!

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Armas Raciais dos Orcs

O capítulo de armas do Manual Básico do Old Dragon diz que diferentes povos empregam diferentes técnicas na forja de armas, e então traz dois exemplos clássicos disso: armas forjadas por anões e armas forjadas por elfos.

Acho que até aí, todo mundo se lembra disso. O que talvez nem todos tenham notado é que o mesmo livro diz na descrição dos orcs que estes são humanóides especialistas em mineração e forjaria.

Oras, se os orcs são especialistas em forjaria, nada mais justo que eles também tenham desenvolvido sua técnica racial única de forjar armas!

Então, com vocês, as…

Armas raciais orc:

moriasword1 Um exemplo de espada orc.

Orcs são excelentes forjadores e criam armas poderosas, apesar de não possuírem nenhuma habilidade estética. Uma arma forjada por orcs será sempre simples e de aparência rude, no entanto são compactas e eficientes. Isso faz com que elas pesem 20% a mais e recebam um bônus de +1 nas jogadas de dano. Essas armas possuem um preço adicional de 350 P.O., entretanto orcs não são um povo mercante, e dificilmente negociam com outras raças.

sábado, 15 de junho de 2013

Faça Você Mesmo: Rhagodessa!

A quase 2 meses atrás eu postei aqui as estatísticas da rhagodessa para Old Dragon. No entanto, isso trouxe consigo um outro problema: e se quem utiliza miniaturas em seus jogos quiser utilizar a rhagodessa em uma aventura?

Sério, não há muitas miniaturas de rhagodessas por aí, pode procurar. Claro que devido à escala, alguém poderia simplesmente pegar uma aranha-camelo de verdade e colocá-la na mesa, mas não penso que isso seria uma opção razoável.

Sendo assim, decidi fazer minha própria miniatura de uma rhagodessa! Para aqueles que quiserem reproduzir a façanha, segue a minha receita.

Materiais:

- uma aranha de plástico
- arame
- massa de biscuit ou massa epóxi
- cola branca
- cola-tudo
- tinta acrílica
- verniz acrílico spray
- estilete
- alicate (para cortar o arame)
- pincéis

Como fazer:

Se você estiver disposto e também possuir a habilidade para tal, você pode tentar esculpir todo o corpo de sua rhagodessa. Como eu tenho um pouco de preguiça e também não sou tão bom escultor assim, eu tomei como base da criatura uma aranha de plástico, daquelas bem simplórias. Eu comprei em uma casa de festas um pacote com 20 dessas aranhas por R$ 3,50. Elas não são lá muito bonitas e detalhadas, mas por menos de R$ 0,18 a unidade, eu não tenho do que reclamar.

GDSC0026 O esqueleto da minaitura. 

A primeira coisa a fazer é checar se a miniatura possui alguma rebarba que precisa se removida. Se houver, use um estilete para fazê-lo. Em seguida, use o arame para fazer a estrutura do par de pedipalpos. Nada muito complexo aqui, apenas corte dois pedaçoes de arame do tamanho que achar adequado e molde-os na posição que devem ficar na escultura final.

Lembre-se de que os pedipalpos devem ser mais longos que as pernas da aranha. Eu também moldei os meus de forma que um pedaço do arame fique acomodado sob o tórax da aranha, para facilitar a fixação.

Com os pedaços de arame já no tamanho e formato corretos, cole a extremidade deles sob o tórax da aranha de plástico, utilizando para isso algumas gotas de cola-tudo. Espere a cola secar antes de continuar.

Uma vez que os arames estiverem na posição adequada, é hora de começar a esculpir. Há três coisas que precisam ser inclusas na aranha para transformá-la em uma rhagodessa: os longos pedipalpos, as grandes mandíbulas, e um abdômen longo e segmentado.

Use a massa de biscuit ou epoxi para esculpir as mandíbulas e o abdômen, de forma que eles se encaixem sobre a miniatura nos locais adequados. Utilize fotos e figuras da criatura como parâmetro para sua escultura.

GDSC0025 A peça com os arames colados no lugar, e o abdômen e mandíbulas esculpidas.

A forma mais fácil é fazer essas esculturas com a massa direto sobre a miniatura, mas mesmo assim pode ser que a massa não fique adequadamente fixada na peça. Se esse for o caso, retire a parte esculpida da miniatura com cuidado, e utilize um pouco de cola branca para prendê-la novamente à peça. Também é uma boa idéia utilizar esse momento para esconder as pontas dos arames que ficaram sob o tórax da aranha com um pouco de massa.

Os pedipalpos são mais simples, já que é basicamente cobrir os arames com um pouco de massa e escupir as articulações. Quando as partes esculpidas estiverem prontas, espere a massa secar antes de continuar. Sua rhagodessa deverá estar mais ou menos assim:

GDSC0046 Os pedipalpos devidamente esculpidos.

Uma vez seca, é hora da pintura. Comece utilizando um primer sobre a peça toda. Aqui eu utilizei primer preto em spray:

GDSC0065 A peça já parece mais homogênea com o primer aplicado.

Escolha as cores que vai utilizar para a sua peça. Eu escolhi marrom para o corpo com um drybrush de um tom mais claro de marrom no abdômen, amarelo-ocre para as mandíbulas, e uma base amarelo-ocre com um drybrush laranja/ferrugem sobre as pernas e pedipalpos. Pintei a extremidade das mandíbulas e os olhos de preto. Por fim, um washing marrom sobre tudo.

Depois de pintado e seco, é hora do verniz para manter a pintura intacta. O ideal é usar uma ou duas demãos de verniz brilhante, e uma de verniz fosco, para uma aparência mais “real”. Se desejar, é possível construir uma base para a rhagodessa. Como a miniatura é bastante estável, eu escolhi deixar a minha sem base mesmo.

O resultado final da minha peça foi esse:

GDSC0103 A rhagodessa de perfil…

GDSC0104 … de frente…

Rhagodessa visão superior … de cima…

GDSC0107 … e com uma miniatura do D&D para escala (ignorem o meu dedo na foto…)!

E agora eu tenho mais um punhado de aranhas de plástico esperando para serem utilizadas. Vamos ver o que eu consigo inventar com elas!

sexta-feira, 14 de junho de 2013

The Lost Keys of Solitude – Aventura Grátis Para OSRIC!

Lost Keys Blog Cover Joseph Browning, da Expeditious Retreat Press, liberou para download gratuito o PDF de uma aventura da série Advanced Adventures.

The Lost Keys of Solitude é uma aventura para OSRIC (um retroclone do AD&D 1ªed) designada para 6 a 8 personagens de nível entre 6 e 10.

A aventura possui 29 páginas, traz estatísticas de novas magias, ítens e monstros, e pode ser baixada aqui. Mas aproveite logo, pois não sabemos por quanto tempo ela continuará gratuita!

quarta-feira, 12 de junho de 2013

A Capa Nova da Terceira Tiragem do Old Dragon

A Redbox Editora anunciou ontem a inauguração de sua nova loja virtual, mais bonita e segura. Para quem tem PDFs de produtos comprados na loja antiga, terão até o dia 11 de maio de 2014 para fazerem o download pelo endereço redboxeditora.com.br/lojaantiga; depois dessa data os arquivos estarão indisponíveis.

Foi anunciado ontem também o início da pré-venda da terceira tiragem do Manual Básico do Old Dragon. Como explicado no blog da editora, a necessidade de uma terceira tiragem significa que 2.500 Manuais Básicos do Old Dragon já foram vendidos.

Mas essa não é a maior novidade. O que é ainda mais importante é que essa terceira tiragem terá uma nova capa, para se adequar ao novo layout da linha, que foi criado para o futuro lançamento do Bestiário.

Nova capa do OD A nova cara do Manual Básico do Old Dragon!

A arte de capa, assinada por Bruno Balixa, mantém a tradição de mostrar um grupo de aventureiros em uma situação difícil, grupo este composto por personagens que já apareceram antes em algum outro produto da linha Old Dragon. Além disso, há uma óbvia homenagem a um elemento de nossa infância na nova capa (sim, é o escudo!).

Só que isso não é tudo! Devido à alta do dólar, o preço do papel aumentou, e consequentemente também aumentou o preço do livro (de R$ 24,90 para R$ 29,90). No entanto, aqueles que adquirirem o livro na pré-venda ainda pagarão o preço antigo por ele.

E como um agrado adicional, os 100 primeiros compradores na pré-venda receberão um poster A3 com a nova ilustração da capa! Mas tem de correr, pois os posteres já estão acabando!

odmb02capaeposter2 Imaginou esse poster na sua parede? Então corre que não tem pra todo mundo!

domingo, 9 de junho de 2013

Relíquias da Moonfest 2012

Recentemente eu me lembrei de algumas coisas legais que por alguma razão ou outra eu nunca postei aqui no blog. Uma destas coisas foram alguns dos autógrafos maneiros que eu peguei na Moonfest do ano passado.

Autógrafos OD 011 Os autógrafos em “foto panorâmica”.

Como o pessoal da lista do Old Dragon em massa compareceu naquele evento, eu aproveitei para levar meus livros da Redbox e da Unza para serem autografados.

Eu já tinha o autógrafo do Fabiano Neme no meu Manual Básico do Old Dragon, que eu consegui na World RPG Fest 2012, por isso aproveitei para pegar os autógrafos dos outros dois membros do Trio Redbox:

Autógrafos OD 013 Ganhei até uma caricatura do Dan Ramos!

O outro autógrafo que eu peguei foi do meu xará Igor Moreno, na sua obra-prima, o Space Dragon:

Autógrafos OD 012 Tá meio fora de foco, mas é meio dificil tirar foto e manter a capa aberta sem detonar o livro ao mesmo tempo…

E por fim, mas não menos importante, o amigo Rafael Beltrame gentilmente autografou O Forte das Terras Marginais e o Goblins em Campanha para mim:

Autógrafos OD 014 E esse ano ele terá de autografar A Cripta do Terror!

E é isso, algumas lembranças de uma galera legal que eu conheci na Moonfest 2012. Vamos ver quais relíquias eu conseguirei trazer do próximo evento RPGístico do qual participar!

sábado, 8 de junho de 2013

Esquenta World RPG Fest 2013

Enquanto você aguarda o dia da World RPG Fest 2013 chegar, que tal já ir esquentando os motores? Acha uma idéia boa? Então, se você estiver em Curitiba, porque não aparece no Esquenta World RPG Fest 2013?

O primeiro Esquenta World RPG Fest 2013 acontecerá no dia 15/06 na Biblioteca Pública do Paraná, e é uma oportunidade de você conhecer um pouco tudo que vai rolar no World RPG Fest 2013 nos dias 27 e 28 de julho.

A participação é gratuita, e nesse dia haverão mesas de RPG, Boardgames, Card Games e uma exibição do wargame Warhammer.

esquentaImprima esse passe pra agilizar as coisas!

Imprima o Passe Livre, para facilitar seu acesso ao mini-evento (a Biblioteca Pública normalmente é fechada ao público nos sábados à tarde),  ou apenas avise ao vigilante do local de que você participará dos jogos e ele lhe permitirá a entrada!

sexta-feira, 7 de junho de 2013

O Dragão de Ossos do Bestiário do Old Dragon!

A Redbox Editora liberou hoje, com exclusividade para a lista de discussão do Old Dragon, o que provavelmente será o último preview do Bestiário do Old Dragon antes do início da pré-venda do livro.

Com vocês, o Dragão de Ossos:

Clique para ampliar.

Os dragões são criaturas que receberão tratamento diferenciado no Bestiário. Além de possuírem 2 páginas para cada tipo de dragão, ao contrário do padrão de uma página por monstro, eles possuem uma página anterior com informações gerais sobre tamanhos, poderes e cores e possuem duas páginas finais e exclusivas para os comparativos de tamanho.

E a arte do Bestiário continua surpreendendo pela qualidade; esse será um livro de criaturas que não irá não nos decepcionar, com toda a certeza!

terça-feira, 4 de junho de 2013

Muito Material Gratuito Para Old Dragon!

As últimas semanas foram recheadas de lançamentos gratuitos para Old Dragon, mas que talvez nem todo mundo tenha ficado sabendo. Então está na hora de consertar isso!

O Templo do Homem Cobra Primeiramente, na página oficial do jogo, na seção Aventuras, foram disponibilizadas 3 pequenas aventuras para personagens de nível baixo: Vermes do Feudo Maldito, O Templo do Homem Cobra, e A Caverna do Flagelo Rei.

Manual do navegador Também no site oficial, na seção Suplementos, foi disponibilizado o bacaníssimo Manual do Navegador, 36 páginas contendo a descrição de diversos tipos de embarcações, regras para navegação, equipamentos e serviços náuticos, artilharia para navios e armas de pólvora.

A Ilha Perdida de Harmak No blog Moostache, em conjunto com a equipe do Homeless Dragon, também foram lançadas muitas coisas legais. O destaque fica por conta do mini-cenário A Ilha Perdida de Harmak, de Rafael Beltrame, que descreve uma ilha que mistura fantasia e ficção científica, pronta para ser inclusa em qualquer cenário.

Sellaine A adaptação para Old Dragon do mini-cenário Sellaine: Jóia das Nuvens, uma cidade voadora criada por Mike Mearls, também vale a pena de ser lida, e quem sabe, adicionada a seu cenário predileto.

Além destes dois mini-cenários, o Moostache também tem uma grande quantidade de aventuras e outros materias adaptados e diagramados pelo pessoal do Homeless Dragon para baixar.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Jack Vance – A Partida de um Grande Autor

200px-Jack_Vance_Boat_Skipper No dia 26 do mês passado faleceu John Holbrook Vance, aos 96 anos. Jack vance, como era mais conhecido, foi uma grande influência para Gygax e Arneson durante a criação do D&D.

O sistema de magia do primeiro RPG do mundo é influenciado diretamente pelo modo de funcionamento da magia nos livros da série The Dying Earth, e por isso mesmo o sistema de “decorar-lançar-esquecer” as magias do D&D é chamado muitas vezes de magia vanciana, em homenagem ao autor.

planeta duplo Mas não é apenas essa a relevância de Jack Vance. De 1945 a 2009 Vance escreveu alguma coisa entre 60 e 90 livros (as fontes divergem quanto ao número), recebendo importantes prêmios dados a autores dos gêneros de Ficção Científica, Fantasia e Mistério. E estes números só tornam-se mais impressionantes quando se sabe que ele era legalmente cego desde a década de 1980.

Sendo um autor que começou a escrever nos anos 1940, seu estilo com certeza não é igual ao dos autores modernos, mas ainda assim Vance tinha um ritmo próprio que eu acho muito fácil de ler, e nunca encontrei um livro dele que não me agradou.

planeta dos dragõesJack Vance era de um tempo em que a ficção científica e a fantasia frequentemente não eram muito distintas enquanto gênero, assim muitos de seus contos de fantasia são recheados de elementos científicos, enquanto muitas de seus livros de ficção científica são histórias de fantasia genuínas.

Infelizmente, grande parte de seus livros provavelmente nunca foram publicados aqui no Brasil, mas é possível encontrar algumas excelentes obras do autor em português em sebos, e às vezes por valores tão baixos quanto R$ 4,00.

Eu sugiro a todos dar uma procurada nos sebos e comprar um livro de Vance, ao menos para conhecer. Façam isso como um tributo a este grande autor. Fique em paz, Vance!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...